Lord Voldemort

Wikipedia open wikipedia design.

Question book.svg
Este artigo ou secção não cita fontes confiáveis e independentes (desde fevereiro de 2018). Ajude a inserir referências.
O conteúdo não verificável pode ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Tom Marvolo Riddle
Tom Servolo Riddle
300.px
Ralph Fiennes interpretando Lord Voldemort em Harry Potter and the Deathly Hallows – Part 2.
Dados pessoais
Sexo Masculino
Nascimento 31 de dezembro de 1926
Cabelo Careca
Olhos Verdes escuros quase Castanhos, depois Vermelhos, com duas fendas como pupilas de gatos
Sangue Mestiço
Família Tom Riddle (pai)
Merope Gaunt (mãe)
Marvolo Gaunt (avô)
Morfino Gaunt (tio)
Dados biográficos
Casa Blason Serpentard.svg Slytherin
Organizações as
quais pertence
Comensais da Morte, Ministério da Magia (HP7)
Na série
Primeira aparição
em livro
Harry Potter e a Pedra Filosofal
Primeira aparição
em filme
Harry Potter e a Pedra Filosofal
Intérprete Richard Bremmer (HP1)
Christian Coulson (jovem, HP2)
Ralph Fiennes (adulto, a partir de HP4)
Hero Fiennes Tiffin (criança, HP6)
Frank Dillane (adolescente, HP6
Personagem da série Harry Potter

Lord Voldemort (31 de dezembro de 19262 de maio de 1998), nascido como Tom Marvolo Riddle na versão original, e Tom Servolo Riddle na versão brasileira, é um personagem fictício, o principal vilão da série de livros e filmes Harry Potter de J. K. Rowling.

Ele é considerado por muitos o mais poderoso bruxo das trevas de todos os tempos, cujos objetivos são controlar o mundo mágico, adquirir a imortalidade através da prática das Artes das Trevas e proliferar a superioridade dos sangues-puros perante os sangues-ruins. Ele é tão temido pelo povo bruxo que é também referido como "Você-Sabe-Quem", "Aquele-Que-Não-Deve-Ser-Nomeado", "Aquele-Cujo-Nome-Não-Deve-Ser-Pronunciado" e "Quem-Nós-Sabemos", em vez de seu próprio nome. Ele também é intitulado de "Lorde das Trevas", mas geralmente apenas pelos seus seguidores, os Comensais da Morte. Seu nome é um anagrama, tendo recebendo variações na escrita dependendo do idioma.

Voldemort aparece em todos os livros, exceto Harry Potter e o Prisioneiro de Azkaban. Nos filmes, foi dublado por Richard Bremmer em Harry Potter e a Pedra Filosofal, interpretado por Christian Coulson em Harry Potter e a Câmara Secreta e Frank Dillane em Harry Potter e o Enigma do Príncipe como Tom Riddle adolescente, além de Hero Fiennes Tiffin como Tom Riddle criança. Sua aparição adulta e original é interpretada por Ralph Fiennes.

História[editar | editar código-fonte]

Gtk-paste.svg Aviso: Este artigo ou se(c)ção contém revelações sobre o enredo.

Nascimento/Infância (1926 - 1938)[editar | editar código-fonte]

O seu pai, Tom Riddle, era um trouxa e abandonou a sua mãe, Mérope, quando ela parou de lhe dar a Poção do Amor (Tom era apaixonado por outra, logo, Mérope enfeitiçou-o com a poção do amor mais poderosa criada por bruxos, a Amortentia). Após dar a luz, em 31 de dezembro de 1926, Mérope Gaunt entregou Tom a um orfanato em Londres e morreu pouco tempo depois. Seu último pedido foi que colocassem o nome do filho de Tom Servolo Riddle, homenageando assim o pai e o avô do garoto.

Tom cresceu num orfanato e, desde muito jovem, sempre teve grande poder e controle sobre as suas habilidades mágicas. Além disso, já manifestava sinais da sua personalidade futura, incluindo a crueldade, o dom da persuasão, uma tendência a abusar da magia, uma independência forte, astúcia e uma falta de julgamento moral.

Ida para Hogwarts (1938 - 1945)[editar | editar código-fonte]

Quando tinha 11 anos, Dumbledore o visitou num orfanato, explicou que ele era um bruxo e o levou para que fosse estudar na Escola de Magia e Bruxaria de Hogwarts (depois de comprar a sua varinha no Olivaras – Teixo, com pena de fênix, 34 cm e poderosa), onde ele permaneceu de 1938 a 1944 como um dos mais brilhantes alunos da casa da Sonserina. Lá ele descobriu que, através da sua família materna, Tom era o último descendente vivo de Salazar Slytherin – o que para ele constituía uma grande importância.

Enquanto frequentava Hogwarts, no seu terceiro ano Tom encontrou e abriu a Câmara Secreta (ele era ofidioglota – podia falar com cobras), libertando o Basilisco que vivia lá dentro. Devido ao pânico ocasionado pela morte de uma estudante – a Murta que Geme – a escola esteve prestes a ser fechada pelo Ministério da Magia, e para não ter de retornar ao orfanato de trouxas, Tom fechou a Câmara e acusou injustamente Rúbeo Hagrid de tê-la aberto. Devido à sua reputação de criar animais grandes e monstruosos, Hagrid foi expulso e foi atribuído a Tom um prêmio de serviços especiais prestados à escola, por tê-la salvado.

Ainda jovem, Tom retornou a Little Hangleton, a vila que a sua mãe habitara, esperando conhecer o seu pai, acreditando que dele viria sua descendência mágica. Voldemort acreditava que a sua magia não poderia vir de sua mãe, já que a mesma havia falecido e ele acreditava que bruxos tinham condições de enganar a morte. O seu tio, Morfino Gaunt, informou-o da natureza não-mágica de Tom Riddle, seu pai, e que sua mãe era sim uma bruxa. Tom, tomado pelo rancor e pela fúria, assassinou seu pai e seus avós trouxas, e depois modificou a memória do seu tio Morfino para que ele pensasse ter cometido os assassinatos. Desta forma, Tom pôde dissuadir-se de hipotéticas acusações do mundo bruxo sobre os seus atos criminosos. Franco Bryce, jardineiro da família Riddle, foi preso sob suspeita da polícia trouxa, mas foi libertado por não terem conseguido identificar a causa de morte, embora ele fosse considerado culpado pelos outros moradores até à sua morte em 1994, pelas mãos de Voldemort.

Tom Riddle se torna Lord Voldemort (1955)[editar | editar código-fonte]

Após concluir os estudos em Hogwarts com excelentes notas, Tom Riddle passou a trabalhar na Borgin & Burkes, o que surpreendeu a muitos. Seu trabalho consistia em convencer as pessoas a vender-lhe os seus tesouros. Muitos consideraram um desperdício alguém com o talento de Riddle trabalhar nesta loja, mas lá ele fez muitos contatos. Depois demitiu-se e embrenhou-se nos ramos mais sombrios da magia e, por muitos anos, não foi mais visto. Quando reapareceu, estava transformado e as habilidades que adquiriu transformaram-no no bruxo mais temido de todos os tempos: Lord Voldemort. A sua aparência se modificou aos poucos, tendo ficado completamente assustador. Antes possuía um rosto bonito, e o que mais lhe chamava atenção eram seus olhos escuros, sempre ressaltados; agora eram vermelhos e frios, e no lugar do nariz passou a dispor de fendas, como uma serpente. A explicação dessa mudança fica clara: estavam diretamente ligadas à criação das Horcruxes, uma prática das Artes das Trevas.

A forma como Voldemort tomou controle do mundo mágico da primeira vez é obscura e desconhecida. Os golpes que ele utilizou e as medidas que tomou são desconhecidos. As menções a essa época classificam somente como sendo terríveis. Alguns personagens até afirmaram que as pessoas se casavam às pressas nessa época (como a Sra. e o Sr. Weasley), pois todos estavam com medo de morrer.

A queda (1981)[editar | editar código-fonte]

Voldemort é advertido por Severo Snape, seu Comensal da Morte, sobre uma profecia realizada por Sibila Trelawney, na qual o informa de que aquele com o poder de derrotar o Lorde das Trevas estava próximo de nascer, vindo de uma família que o confrontou três vezes, com o nascimento para ocorrer no fim do mês de julho. Havia duas possibilidades: Harry Potter e Neville Longbottom. Voldemort conclui que o garoto mencionado na profecia é Harry e delibera em assassiná-lo ainda bebê para evitar que ele cresça e o ameace (fazendo-o assim seu próprio e pior inimigo). Voldemort chegou à casa de Tiago e Lílian Potter, até então protegidos pelo Feitiço Fidelius por Pedro Pettigrew, proeminentes membros da Ordem da Fênix e pais de Harry Potter, em Godric's Hollow. O bruxo das trevas então matou Tiago e deu uma oportunidade de salvação à Lílian, pedindo para ela não ficar em sua frente. Lílian, tentando proteger o seu filho, acaba sendo morta, deixando o caminho de Voldemort livre, porém dando a Harry uma proteção formada de amor que estaria guardada dentro de si, no seu próprio sangue, e o acompanharia até atingir a maioridade bruxa (17 anos). O Lorde das Trevas emprega a maldição Avada Kedavra, uma maldição imperdoável destinada a matar, em Harry, mas devido à proteção estabelecida por Lílian, Harry foi a única pessoa a sobreviver à Maldição da Morte e ficou apenas com uma cicatriz em forma de raio em sua testa. O feitiço ricocheteou e atingiu Voldemort, reduzindo-o a um resto de si, mas ainda vivo graças às Horcruxes. Ele correu para a noite e não se ouviu mais nada dele por anos.

As notícias da queda de Voldemort proliferaram-se rapidamente por todo o mundo bruxo.

Sem o seu apoio, muitos de seus seguidores foram derrotados ou entregaram-se. Outros negaram que realmente estavam ao lado de Voldemort, alegando estarem sobre efeito da Maldição Imperius. Alguns tentaram encontrá-lo, mas não obtiveram sucesso. Harry Potter tornou-se instantaneamente uma celebridade por ser "O Menino que Sobreviveu". Muitos Comensais da Morte foram capturados e enviados para a prisão de Azkaban, uma prisão para bruxos que invocam uma das três Maldições imperdoáveis ou cometem qualquer crime de gênero mágico.

A prisão de Azkaban fica localizada no meio do Mar do Norte, e era protegida por Dementadores até o retorno de Lord Voldemort.

Os anos de exílio (1981 - 1994)[editar | editar código-fonte]

Voldemort permaneceu na Albânia, onde até mesmo a sua existência era para si um esforço contínuo. Sua única habilidade restante era a de poder tomar posse dos corpos das pessoas e de animais e ele frequentemente tomava posse de cobras. Corpos de animais tornavam difícil para ele fazer qualquer mágica, o que era crucial para lhe serem proporcionados um corpo e força. Passando a depender dos corpos para a sua sobrevivência, nesse tempo, se tornava tão irrelevante baixo, por busca de poder.

Então, em 1991, Voldemort encontrou o professor de Defesa Contra as Artes das Trevas de Hogwarts, o professor Quirrell, passando pela floresta, sempre foi um professor tolo e ingênuo que seduzido por pensamentos de poder e glória, Quirrell concordou em servir a Voldemort. Ele levou Voldemort a Londres e tentou roubar a Pedra Filosofal,que estava escondida em Hogwarts, com a ajuda de Voldemort, que permitiria que o último não apenas retomasse seu antigo poder, mas também tornar-se imortal. Seus planos foram estragados por Harry Potter, como contado em Harry Potter e a Pedra Filosofal.

Voldemort então retornou ao seu esconderijo, com raiva dos seus Comensais da Morte que o tinham abandonado. Ele passou os dois anos seguintes escondido. Neste tempo, o Comensal da Morte Lucius Malfoy enviou o diário de Tom Riddle de volta a Hogwarts, sem saber que se tratava de uma Horcrux, infiltrando-o no material de Gina Weasley. Este avatar da alma de Voldemort manipulou Gina para fazer com que ela abrisse a Câmara Secreta outra vez, liberando o "monstro" – basilisco, que matava com o olhar. Como aconteceu com a Murta que Geme e alguns estudantes nascidos trouxas, incluindo Hermione Granger, melhor amiga de Harry, não tiveram contato visual direto com o basilisco, acabando apenas petrificados. A horcrux de Riddle então tentou tirar a vida de Gina para que pudesse sair do livro. Esses planos foram mais uma vez impedidos por Harry, como contado em Harry Potter e a Câmara Secreta.

Felizmente, para Voldemort, uma série de incidentes em Harry Potter e o Prisioneiro de Azkaban levaram Pedro Pettigrew (que tinha entregado os pais de Harry para Voldemort, pois era o guardião do segredo de onde se escondiam), a esconder-se como Perebas (Os Marotos – Tiago, Sirius e Pedro transformaram-se em animagos por conta própria, para ajudar o amigo deles, e também Maroto, Lupin, que era um lobisomem. Assim, durante as transformações de Lupin, seus amigos estavam lá para ajudá-lo), um rato pertencente a Rony, a ser desmascarado pelos dois jovens amigos, Sirius Black (padrinho de Harry) e o professor e lobisomem Remo Lupin, que conseguindo fugir parte para ajudar Voldemort por medo de sua força. Enquanto buscava aquele que foi uma vez seu mestre, ele sequestrou Bertha Jorkins, de cuja mente Voldemort aprendeu suficiente tudo sobre o Torneio Tribruxo para formular o plano que ele executou em Harry Potter e o Cálice de Fogo. Neste plano, Voldemort criou um corpo primitivo para ele mesmo, extremamente rudimentar, mas o suficiente para permitir que conjurasse feitiços. Ele então usou um antigo ritual de magia das trevas para recriar o corpo que tinha antes que sua maldição o afetasse, 'osso do pai tirado de sem consentimento', 'sangue do inimigo tirado à força' e 'carne do servo dada de bom grado', "O Lorde das Trevas retornará, outra vez" (Rabicho foi quem realizou esse ritual, no livro e na adaptação cinematográfica). Esse fato é crucial para o desfecho da saga, pois o sangue que agora corre por Voldemort é o mesmo de Harry e contém a magia, ignorada por Voldemort, advinda do sacrifício de Lílian Evans Potter. Após renascer, Voldemort convocou os Comensais da Morte de volta para si e tentou matar Harry (em Harry Potter e o Cálice de Fogo) – mas ele escapou do Lorde das Trevas novamente, utilizando o portal (taça do Torneio Tribruxo) que o tiraria do cemitério.

Voldemort continua na clandestinidade, mesmo que a partir daí já tenha enorme força, deixando que todos acreditem que Harry é "O Menino que Mente", como relatado em Harry Potter e a Ordem da Fênix. Em Harry Potter e o Enigma do Príncipe (ou Príncipe Misterioso em Portugal) ele já demonstra controle sobre grande parte do mundo da magia, provocando tragédias no mundo trouxa. Em Harry Potter e as Relíquias da Morte, Voldemort já domina até o Ministério da Magia (tendo dominado pela Maldição Imperius Pio Ticknesse, e matado o atual Ministro da Magia, Rufo Scrimgeour) e todos, incluindo os Comensais da Morte, sofrem a repressão e o terror de viver num mundo ditatorial e despótico. No fim desse livro, Harry e Voldemort travam uma batalha, na qual só um pode sobreviver, após a destruição de todas as Horcruxes (fragmentos da alma de Voldemort, que o permite ser imortal).

A Segunda Guerra (1995 - 1998)[editar | editar código-fonte]

Esta parte relata acontecimentos relativos ao quinto livro, Harry Potter e a Ordem da Fênix.

De início, o Ministério da Magia recusou-se em acreditar que Lord Voldemort tinha voltado. O Ministro da Magia, Cornélio Fudge, começou um processo de difamação contra Dumbledore e Harry (o único não-Comensal da Morte que testemunhou o evento). Dumbledore foi acusado de estar senil e foi removido de vários postos importantes que ocupava. Harry, por outro lado, foi acusado de inventar toda a história em busca de atenção. Enquanto isso, Lúcio Malfoy tratou de ter mais influência dentro do Ministério através de grandes doações.

Em oposição a Voldemort, Dumbledore reformou a Ordem da Fênix e a instalou na antiga casa de Sirius Black, no número 12 do Largo Grimmauld (Grimmauld Place), Londres. Ele também mandou enviados para os gigantes e outras criaturas mágicas não-humanas que poderiam ser fisgadas para o lado de Lord Voldemort.

Enquanto isso, Voldemort esteve esperando e articulando seus planos com cuidado. Não muitos bruxos (os membros da Ordem e seus próprios Comensais da Morte) sabiam ou acreditavam no seu retorno, dando mais liberdade para a execução de seus planos. Ele tratou de coagir os gigantes para seu lado e alguns acreditam que ele tratou de trazer alguns Dementadores para apoiá-lo.

Mais para a segunda metade do livro, após estar por trás de um plano que resgatava alguns de seus Comensais direto de Azkaban, Voldemort embarcou num esquema para matar Harry, assim como reaver o registro da profecia sobre Harry e ele, armazenada no Departamento de Mistérios do Ministério (essa batalha recebe o nome de Batalha do Ministério). Seu plano falhou e a única cópia da profecia foi destruída. Todos os Comensais da Morte, exceto um (Belatriz Lestrange) dos que ele mandou para executar seu plano caíram nas mãos da Ordem da Fênix.

Quando a Ordem parecia estar ganhando, Sirius Black morre ao ser atingido por um feixe de luz que o empurra através de um véu dentro de um arco (do qual não há mais volta). Com muita raiva e pesar, Harry tentou perseguir e torturar Belatriz Lestrange, a Comensal da Morte responsável pela morte de Black. Depois que Harry não conseguiu lançar um feitiço eficiente, Lord Voldemort apareceu e tentou matar Harry, este sendo salvo por Alvo Dumbledore.

Isto levou a um duelo entre bruxos, no qual Dumbledore e Voldemort batalharam um contra o outro, mostrando que Dumbledore ainda era tão poderoso quanto Lord Voldemort. Após um duelo de proporções épicas, que deixou a Fonte dos Irmãos Mágicos em ruínas, a batalha resultou em empate e Voldemort desapareceu levando consigo Belatriz Lestrange. O Ministro da Magia viu o Lord das Trevas e no fim do livro prepara-se para combatê-lo.

Morte (1998)[editar | editar código-fonte]

No último livro, Harry Potter e as Relíquias da Morte, Harry descobre a lenda das Relíquias da Morte, três objetos que dariam o poder total sobre a morte para quem os possuísse. Entre os três já está um: a Capa de Invisibilidade que Harry herdou do seu pai.

Quando Snape está morrendo, entrega a Harry suas memórias. É então que Harry descobre que é uma das Horcruxes de Voldemort e que teria que morrer em suas mãos. Lembrou então dos dizeres do Pomo de Ouro que Dumbledore lhe dera de herança: "Abro no fecho". O final seria a sua morte. Assim, aproximou o pomo da boca e falou: "Estou pronto para morrer". O pomo se abriu, e Harry conseguiu a segunda Relíquia: A Pedra da Ressurreição.

Foi, então, a encontro de Voldemort, e se deixou ser morto (o que fazia toda a diferença, dizia Harry, entre ser arrastado para a arena para lutar e ir para a arena de cabeça erguida). Descobriu então que ele jamais poderia matá-lo, pois uma vez que tivesse o seu sangue e vivesse, Harry também viveria. Porém, o pedaço de alma de Voldemort que existia nele morreu, o que daria a chance de Voldemort ser morto. Harry se fingiu de morto e foi levado por Hagrid para o castelo, onde todos lamentaram sua morte. Após algum tempo, Harry é colocado no chão por Hagrid. Enquanto isso, Neville Longbottom mata Nagini. Sem que ninguém perceba, Harry coloca a Capa da Invisibilidade e participa da batalha estuporando Comensais da Morte e lançando feitiços protetores nos combatentes de Hogwarts. Ninguém percebe sua presença, já que todos estão duelando e ele está invisível. Foi quando Molly Weasley matou Belatriz Lestrange que Voldemort ficou completamente enfurecido e torturou Minerva McGonagall, Horácio Slughorn e Kingsley Shacklebolt, todos ao mesmo tempo. Harry então tira a Capa da Invisibilidade, pronto para duelar, deixando claro para todos que não queria que o ajudassem. Agora, sem Horcrux alguma, Voldemort era novamente mortal. Os dois não se atacam imediatamente. Harry revela muitas coisas que o Lorde ignorava e as falhas em seu plano maligno que ele imaginou ser perfeito. Fala sobre seus defeitos e sua arrogância, os fatores que o levaram à cometer tantos erros, quando acreditava ser o mais inteligente e poderoso dos bruxos. Por fim, Harry revela ser o verdadeiro senhor da Varinha das Varinhas, e os dois finalmente lançam seu feitiços, simultaneamente. Após ser atingido por sua própria Maldição da Morte, que ricocheteia após Harry lançar o Feitiço Expelliarmus, Tom Riddle cai no chão, com uma finalidade terrena, um mero mortal. E assim o último herdeiro de Salazar Slytherin, o último descendente da Família Gaunt e o bruxo mais temido de todos os tempos é morto por Harry Potter, fazendo com que a paz no mundo bruxo fosse instaurada novamente.

Gtk-paste.svg Aviso: Terminam aqui as revelações sobre o enredo.

Árvore Genealógica[editar | editar código-fonte]

Segundo Harry Potter e a Criança Amaldiçoada, Belatriz Lestrange e Voldemort tiveram uma filha chamada Delphini, que nasceu na Mansão dos Malfoy antes da Batalha de Hogwarts (02/05/98).

Na peça, a filha do Lorde das Trevas tenta manipular Alvo a fazer certas coisas que ela acredita que realizaria a nova profecia e traria seu pai, o maior bruxo-vilão de todos os tempos, de volta. Tão malvada quanto seu pai — e tem até uma personalidade um tanto parecida quanto a dele em alguns aspectos — ela é uma das vilãs mais interessantes de Harry Potter e a Criança Amaldiçoada.

Nome de Voldemort[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Traduções de Harry Potter

O nome original de Voldemort é Tom Marvolo Riddle (apropriado já que seu nome é um enigma, riddle, em inglês). No segundo livro ele explica que Voldemort é derivado de um anagrama de seu nome:

TOM MARVOLO RIDDLE → I AM LORD VOLDEMORT

Como muitos outros nomes nos romances de Harry Potter, "Voldemort" parece ter origens francesas. "Vol de mort" significa tanto "vôo de morte" como "ladrão de morte" (já que "vol" em francês tem os dois significados). A palavra "de" também pode ser traduzida como "da", levando ao significado "voo da morte". Já que Voldemort teme e tenta escapar da morte, este significado é bem apropriado.

Nas versões traduzidas de a Câmara Secreta, o nome verdadeiro de Voldemort foi mudado para acomodar o anagrama. No entanto, na versão polonesa, o tradutor Andrzej Polkowski decidiu não mudar nada, possivelmente por causa das dificuldades de traduzir o anagrama em uma frase com sentido. No português de Portugal, também se optou por manter o nome original:

Língua Nome Anagrama Tradução
Inglês Tom Marvolo Riddle I am Lord Voldemort Eu sou Lord Voldermort
Português (Brasil) Tom Servolo Riddle Eis Lord Voldemort Eis Lord Voldemort
Espanhol Tom Sorvolo Ryddle Soy Lord Voldemort Sou Lord Voldemort
Francês Tom Elvis Jedusor Je suis Voldemort Eu sou Voldemort
Galego Tom Morlov Riddle Milord Voldemort Milord Voldemort
Italiano Tom Orvoloson Riddle Son io Lord Voldemort Eu sou Lord Voldemort
Alemão Tom Vorlost Riddle Ist Lord Voldemort É Lord Voldemort
Norueguês Tom Dredolo Venster Voldemort den Store Voldemort, o Grande
Sueco Tom Gus Mervolo Dolder Ego sum Lord Voldemort Eu sou Lord Voldemort
Finlandês Tom Lomen Valedro Ma olen Voldemort Eu sou Voldemort
Dinamarquês Romeo G. Detlev Jr. Jeg er Voldemort Eu sou Voldemort
Grego Anton Morvol Hert Arhon Voldemort Lord Voldemort
Russo Tom D. Dvolloder Rebus Lord Sudeb Voldemort Lord Voldemort

No Cinema[editar | editar código-fonte]

Voldemort é interpretado por Richard Bremmer em HP1. Em HP2 é interpretado por Christian Coulson (jovem). Em HP3, Voldemort não participa. A partir de HP4 até HP8 é interpretado por Ralph Fiennes. Hero Fiennes Tiffin faz Voldemort (criança) e Frank Dillane (jovem) em HP6.



This page is based on a Wikipedia article written by contributors (read/edit).
Text is available under the CC BY-SA 4.0 license; additional terms may apply.
Images, videos and audio are available under their respective licenses.

Destek