Ataque à embaixada dos Estados Unidos em Bagdá

Wikipedia open wikipedia design.

Ataque à embaixada dos Estados Unidos em Bagdá
2019 attack on the United States embassy in Iraq 03.jpg
Milicia iraquiana e apoiadores queimam a área de recepção da embaixada dos Estados Unidos, em 31 de dezembro de 2019.
Local Zona Verde  · Bagdá  ·
 Iraque
Coordenadas 33° 17′ 56,4″ N, 44° 23′ 45,6″ L
Data 31 de dezembro de 2019
Tipo de ataque Protestos, vandalismo e incêndio
Alvo(s) Embaixada dos Estados Unidos em Bagdá
Motivo Em resposta aos ataques aéreos dos Estados Unidos no Iraque e na Síria em 2019

O ataque a embaixada dos Estados Unidos no Iraque em 2019 ocorreu em Bagdá, Iraque, em 31 de dezembro de 2019. [1] Milicianos iraquianos, [2] [3] [4] [5] manifestantes pró-Irã [6] [7] [8] [9] e apoiadores do Kata'ib Hezbollah, uma milícia apoiada pelo Irã [10] [11] [12], atacaram a embaixada dos Estados Unidos em resposta aos ataques aéreos estadunidenses de 29 de dezembro de 2019 que mataram 25 combatentes do Hezbollah Kata'ib no Iraque. [13] [14]

Contexto[editar | editar código-fonte]

Milhares de manifestantes e milicianos gritavam "Morte à América", atiraram pedras e picharam as paredes. [15] [16] Muitos dos que participaram dos protestos iraquianos expressaram sua condenação aos ataques aéreos estadunidenses ao Hezbollah Kata'ib e apoiaram os protestos na embaixada declarando "[que as] manifestações na embaixada dos Estados Unidos são uma resposta natural aos ataques sobre as posições do Hashd no Iraque". Eles condenaram o ataque à embaixada americana por apoiadores iraquianos do grupo dizendo: "estamos aqui no centro do movimento pacífico de protesto" e acrescentaram que "as multidões na Zona Verde não nos representam. Queremos mudanças pacíficas. " [17]

Consequências[editar | editar código-fonte]

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, acusou o Irã de "orquestrar" o ataque à embaixada e acrescentou que eles seriam considerados "totalmente responsáveis".[18] O Ministério das Relações Exteriores do Irã negou que estivesse por trás dos protestos na embaixada dos Estados Unidos e alertou contra qualquer retaliação.[19]

O líder supremo do Irã, Ali Khamenei, twittou "Se o Irã quiser combater um país, ele atacará diretamente."[20][21]

Em 2 de janeiro de 2020, o secretário de Defesa dos Estados Unidos, Mark Esper, declarou que "o jogo mudou" e afirmou que os Estados Unidos atacariam preventivamente grupos paramilitares apoiados pelo Irã no Iraque se houvesse indicações de que estavam se preparando para atacar as forças americanas, ao mesmo tempo em que pediam ao governo iraquiano para resistir à influência iraniana. O presidente do Estado-Maior Conjunto dos Estados Unidos, Mark Milley, enfatizou que qualquer grupo que tentar invadir a embaixada de Bagdá "se deparará com uma serra elétrica ". [22]

Morte de Qasem Soleimani[editar | editar código-fonte]

Embaixada dos Estados Unidos em Bagdá em 1 de Janeiro de 2020

Nas primeiras horas da manhã de 3 de janeiro (no Iraque) de 2020, o comandante da Força Quds do Irã, o major-general Qasem Soleimani e Abu Mahdi al-Muhandis foram mortos em um ataque aéreo dos Estados Unidos enquanto viajavam em um comboio perto do Aeroporto Internacional de Bagdá. O ataque dos EUA foi formalmente admitido pelo Departamento de Defesa dos Estados Unidos em uma declaração especial.[23]

Veja também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «Iraqi supporters of Iran-backed militia attack U.S. embassy». Associated Press 
  2. «Protesters attack US Embassy in Baghdad after airstrikes». AP NEWS 
  3. «Iraqi Shiite militia supporters attack US embassy compound in Baghdad». France 24 (em inglês) 
  4. «Trump blames Iran as protests erupt outside US Embassy in Iraq». The Jerusalem Post | JPost.com 
  5. Thomas Franck. «Trump says Iran will be held 'fully responsible' for attack on the US embassy in Iraq» (em inglês). CNBC 
  6. «Pro-Iran protesters storm US embassy over deadly Iraq strikes». AFP.com (em inglês) 
  7. By Sheena McKenzie. «Iraq protesters attack US Embassy in Baghdad» (em inglês). CNN 
  8. «Iraqi Protesters Attack US Embassy Compound in Baghdad». Voice of America (em inglês) 
  9. «Marines sent to bolster security after Iraqi protesters assault US embassy, torch guardhouse to protest airstrikes» (em inglês). ABC News 
  10. «US strikes on Iran-backed Iraqi militia may escalate». Emerald Expert Briefings. ISSN 2633-304X. doi:10.1108/oxan-es249684 
  11. Ghassan Adnan, Isabel Coles and Michael Gordon. «Trump Blames Iran After Militia Supporters Try to Storm U.S. Embassy in Baghdad» (em inglês). WSJ 
  12. Yaron Steinbuch. «Iraqi protesters storm US Embassy in Baghdad, shouting 'Death to America'» (em inglês). New York Post 
  13. «Militiamen breach US Embassy in Baghdad; Trump blames Iran». Associated Press 
  14. JohnBacon. «Protesters smash into US Embassy compound in Baghdad following deadly US airstrikes». USA Today 
  15. «Protesters Attack U.S. Embassy in Iraq, Chanting 'Death to America'». The New York Times. ISSN 0362-4331 
  16. «العراق.. هجوم عملاء النظام الإيراني على السفارة الأمريكية في بغداد وترامب يحذر». mojahedin.org 
  17. «Protesters at US embassy in Baghdad gear up for sit-in». www.aljazeera.com 
  18. «U.S. has no plan to evacuate embassy in Baghdad, more forces being sent to compound». Reuters 
  19. «Iran Denies Role in U.S. Embassy Violence, Warns Against Retaliation». Reuters via The New York Times 
  20. KHAMENEI IR. «میبینید سراسر عراق هیجان ضدآمریکایی چقدر است؟ باز آن جناب توییت کرده که مااین را از چشم ایران می‌بینیم. شما غلط میکنید! ایران اگربخواهدباکشوری مبارزه کندصریح این کاررا میکند.ما به منافع و عزت ملتمان پایبندیم وهرکس آن را تهدید کند بدون هیچ ملاحظه‌ای بااو روبرو میشویم وضربه میزنیم». فارسی 
  21. «....Iran will be held fully responsible for lives lost, or damage incurred, at any of our facilities. They will pay a very BIG PRICE! This is not a Warning, it is a Threat. Happy New Year!» 
  22. «After Embassy Attack, U.S. Is Prepared to Pre-emptively Strike Militias in Iraq». The New York Times 
  23. «Statement by the Department of Defense». United States Department of Defense 


This page is based on a Wikipedia article written by contributors (read/edit).
Text is available under the CC BY-SA 4.0 license; additional terms may apply.
Images, videos and audio are available under their respective licenses.

Destek